Dimensões da vida e fases do ministério

Na perspectiva do Cuidado Integral o missionário pode ser compreendido por dimensões não subdivididas, mas inter-relacionadas, onde cada dimensão malcuidada pode afetar todos os outros aspectos da vida, influenciando diretamente no desenvolvimento pessoal, familiar e ministerial, e potencialmente, na multiplicação de discípulos. Temos que buscar o equilíbrio em todas as dimensões. As dimensões do cuidado integral do missionário são:



ESPIRITUAL


“Lembre-se que o Senhor Deus trata com cuidado especial aqueles que são fiéis a ele; o Senhor me ouve quando eu o chamo.” Sl.4.3

O missionário não pode deixar de estar atento as disciplinas espirituais.     

Esquecer que a obra do ministério e o bem-estar pessoal e familiar estão debaixo do poder de Deus e não nas forças das mãos ou do intelecto do conhecimento adquirido. O tempo de encontro com Deus diário do missionário, da família e de cada membro é fundamental para o bem-estar do missionário em todas as dimensões da vida. 

“O grande perigo é que, quando desprezamos as disciplinas espirituais, nosso ministério vai se transformando em trabalho de homem, esforço carnal e não em ações de Deus através de nós” (Silva Junior, 2013, p. 94)


O cuidado integral intencional busca conduzir os obreiros em amor, por meio de solicitações de contas e acompanhamento, à prática das disciplinas espirituais, como fonte de vida pessoal, familiar e de poder e capacitação para o ministério.

EMOCIONAL

“A alegria do coração transparece no rosto, mas o coração angustiado oprime o espírito.” Pv.15.13 

Segundo OLIVEIRA (2009, pg. 65) em seu livro sobre a vida, ministério e desafios no campo, diz que o trabalho missionário é intenso e permeado de mudanças, desafios e lutas espirituais, físicas e emocionais. A somatória desse ritmo acumulado acarreta um alto nível de estresse, que sobrecarregará o emocional.  Esses momentos de crises produzem sentimentos de incapacidade, questionamento quanto à própria identidade e até mesmo dúvidas quanto ao chamado. 

“...estresse afeta a todos nós. É inevitável e faz parte da vida normal. O problema é o estresse acumulado, que pode derrubar mesmo os missionários mais fortes”. O´Donnel (apud Ikedo, p.112) 

Viver e sofrer sob a tirania do urgente promove no missionário e sua família estresse, frustração e esgotamento. Por isso, providenciar refrigério e conscientizar sobre a importância do descanso, assim como buscar aconselhamento, pastoreio e amizades sinceras para que tenham um crescimento e um amadurecimento saudável, é fundamental para o desenvolvimento.

O cuidado integral intencional deve estar conscientizando e acompanhando a família missionária para lidar, administrar e cuidar dessa realidade emocional desde o início e por todas as fases da carreira missionária. Assim como, promover o cuidado mútuo entre líderes, e prioritariamente, uma “agenda de trabalho missionária” que efetivamente considere o descanso semanal e anual da família e tempo de qualidade para o cônjuge e filhos, pois um dos valores de Missões Nacionais a ser preservado e vivenciado é a FAMÍLIA.



FÍSICO

“Vocês sabem que são santuário de Deus e que o Espírito de Deus habita em vocês?” 

I Co.3.16

Investir na saúde ajuda o missionário prolongar seus anos de serviço ao Senhor. Vários missionários tiveram que retornar do campo por problemas de saúde e é o quarto motivo de retorno precoce do campo de missionários Americanos. (Ikedo, 2011, p.107).

Se o missionário quer oferecer o melhor para o Senhor precisa cuidar de si mesmo. Não pode cair na tentação de se dar ao luxo de extrapolar na dedicação ao trabalho esquecendo de si mesmo e de seu primeiro ministério, a sua família. 


Como seres humanos todos são suscetíveis ao estresse e as enfermidades físicas. Nosso corpo tem limites. Cuidar bem do corpo inclui alimentação saudável e balanceada, tempo suficiente de descanso e sono, fazer exames preventivos, procurar ajuda especializada quando necessário e praticar exercícios físicos regularmente. A saúde sempre cobrará o modo desequilibrado que vivemos. Como templo do Espírito de Deus devemos santificar nosso corpo e isso também glorifica a Deus. (SILVA, 2013, p.48-50) 

O cuidado integral fomentará a prática do cuidado físico corporal. Cobrará os exames preventivos e os acompanhamentos médicos regulares, fazendo assim, o bom uso do convênio médico. E acompanhará os tratamentos médicos das disfunções físicas dos missionários. 


FAMILIAR


“Se não for o Senhor o construtor da casa, será inútil trabalhar na construção. Se não é o Senhor que vigia a cidade, será inútil a sentinela montar guarda.”  Sl. 127.1 

A dimensão que provavelmente mais afeta a vida do missionário é a saúde familiar. A família deve ser o porto seguro, um bálsamo de refrigério e de contentamento no final de um dia de trabalho. 

Em família somos o que realmente somos. No lar o coração é exposto com mais transparência. Todo missionário busca ser uma família saudável como modelo em seu campo. Mas, o que é uma família saudável? No livro “Estamos de Mudança” a autora descreve sabiamente respondendo à pergunta:

“A família saudável lida bem com a maioria das adversidades que podem surgir. Uma boa dinâmica familiar cria um ambiente para vencer os desafios. Um Lar saudável não é um lar sem problemas, mas sim um lar onde as pessoas sabem identificar os problemas e procuram resolve-los. Um lar onde os pais se amam demonstrando cumplicidade, aceitação e respeito mútuo, e por sua vez, proporciona segurança aos filhos, constroem relacionamentos com cada um dos filhos e nutrem o fluir dos relacionamentos entre irmãos. Um lar onde as pessoas se sentem ouvidas, acolhidas, respeitadas, desafiadas, corrigidas em amor” (MACEDO, 2001, p.12)


Kornfild (2006, pg. 11) em seu livro “O Líder que Brilha”, fala sobre três tipos de casamento: 

“O casamento tende a ser: disfuncional – não funciona bem; funcional – consegue cumprir apenas o necessário, e excepcional – proporciona profunda segurança, alegria e realização [...] todo o casamento é uma mistura dessas três opções.”


Como podemos observar, não existe família e nem casamento perfeito. Devido a esse fato, o missionário precisa ter as informações, as orientações e as ferramentas de prevenção para cuidar de si mesmo, de seu relacionamento familiar, e quando necessário, obter as intervenções de acompanhamento e aconselhamento bíblico, e se necessário com outros especialistas, que os ajudem a ser uma família saudável no cumprimento do propósito de Deus em suas vidas. 


EDUCACIONAL


“O coração de quem tem discernimento adquire conhecimento; os ouvidos dos sábios saem à sua procura.” Pv.18.15 

O missionário precisa ter o desenvolvimento de sua liderança. As competências essenciais para um ministério eficiente e motivado, juntamente com o desenvolvimento e crescimento pessoal de seus filhos e cônjuge. 

O desenvolvimento deve atingir todo o seu lar. Através da educação e do treinamento. Para que sejam cada vez mais relevantes e preparados na sociedade e no Reino. Líderes e famílias bem desenvolvidos e preparados estarão mais fortalecidos para as adversidades e desafios da vida e do ministério.

O cuidado integral promoverá o desenvolvimento da família missionária para melhor atuarem em suas vidas pessoais e ministérios através de treinamentos, vídeos, materiais e parcerias que forneçam conhecimento.


FINANCEIRO


“Como é feliz quem teme ao Senhor, quem anda em seus caminhos! Você comerá do fruto do seu trabalho, e será feliz e prosperará.” Sl.128.1 e 2

A eficiente administração financeira dos recursos adquiridos pelo missionário e sua família é fundamental para que haja paz no lar e no trabalho.  Precisamos zelar pelo bom testemunho do missionário e pelo bem-estar, segurança e conforto coerente e adequado a realidade do campo em que estão inseridos. 

A experiente missionária de campo em seu livro “Missionária ferida” (MEER, 2009, p. 129) fala da importância do conceito de mordomia na vida missionária:

“Em relação ao apoio financeiro, é bom que os missionários tenham um estilo de vida simples e mais identificado com o povo, servindo com amor e respeito e considerando o povo local como parceiro. Essa identificação é mais valiosa do que o paternalismo oferecido por missionários que aparentam ser ricos, por causa do seu estilo de vida e porque conseguem recursos com facilidade. Ele confiou a nós seus recursos materiais e financeiros não como proprietários, mas como mordomos.”

Na área de administração outro autor descreve o que realmente as pessoas esperam das organizações:

“O que as pessoas mais esperam de suas organizações não é o dinheiro, mas o tratamento digno e respeitoso, a capacidade de contribuir para o sucesso da organização e o sentimento de participação sempre apareceram acima do dinheiro” (HUNTER, 2009, p. 33)

Líderes cristãos usam seus recursos para a gloria de Deus. São mordomos de tudo o que o Senhor lhes concede. São fieis em seus dízimos e ofertas. E são exemplos de caráter diante da sociedade. 

O cuidado integral intencional juntamente com a igreja e profissionais da rede multidisciplinar na área de finanças promoverá maneiras de auxiliar o missionário na administração financeira e em como aplicar melhor seus recursos.


FASES DO MINISTÉRIO

Todos passam pelo processo de recrutamento e seleção, que sendo aprovado, fará um treinamento pré-campo dentro de sua área de atuação. O missionário e sua família já comissionado por sua Igreja Local é enviado ao campo, passando por um período de mudança e adaptação antes de entrar efetivamente na execução do projeto, que é a sua vida no campo. Na finalização de um projeto, ou por outras razões estratégicas, alguns missionários são transferidos para outros locais e passam novamente pelo processo de mudança e transferência. E a última fase junto a agência missionária é a aposentadoria ou o encerramento do contrato, quando retornam para sua Igreja enviadora ou outros ministérios, continuando dessa forma sua contribuição e chamado no Reino de Deus.



Processo de Seleção


O CIM Missões Nacionais buscará auxiliar no processo de recrutamento e seleção, para que tenhamos como resultado a diminuição do retorno prematuro de missionários e famílias dos campos, uma vez que, esse processo tem início na seleção dos candidatos para a obra missionária.


IMPORTANTE: A Igreja Local exerce um papel fundamental e único nessa fase de recrutamento e seleção. A Igreja e sua liderança conhece o candidato, a família e a pratica de vida pessoal e eclesiástica, assim como seus dons e atribuições. Dessa forma, a seleção tem início na própria Igreja Local que identifica a vocação e o chamado. O envolvimento e o envio consciente do candidato para a obra missionária por parte da igreja local, debaixo da orientação do Espírito Santo, é imprescindível para o cuidado integral da vida, da família e do futuro ministério de seu obreiro. Por isso, conscientizar e trabalhar com a igreja enviadora na visão do cuidado integral é fundamental para que no campo os obreiros também não deixem de receber o cuidado integral de sua Igreja. 


Preparo e Treinamento Pré Campo


O CIM Missões Nacionais preventivamente, no início da carreira missionária do novo obreiro, conscientizará e treinará o missionário e sua família para desenvolverem o ministério com qualidade de vida, para multiplicar o número de discípulos de forma saudável em todas as dimensões de suas vidas. Assim como, multiplicar a mesma visão às Igrejas para com seus líderes e vocacionados. 

Envio e Chegada no Campo / Mudança e Transferência

Os processos de envio e chegada no campo, assim como, mudanças e transferências de campo podem se tornar motivos de grande sobrecarga emocional para toda a família no início do ministério, quanto também, para os mais experientes missionários no decorrer de sua carreira. Por isso, a agência missionária e a igreja enviadora de forma intencional deve dar suporte gerando um ambiente propício para a melhor adaptação possível da família no campo. 

O´Donnel (2004, p.53) utiliza o acróstico “R O D A” para exemplificar a importância desse processo:


Nessa fase de envio, mudança ou transferência de campo o missionário e sua família passarão inevitavelmente pelo “processo de adaptação”. No qual o corpo, a mente e as emoções sofrem ajustes as novas condições do novo contexto. Alguns dos sintomas evidenciados nesse período são: receio de se relacionar, frustração por não conseguir se comunicar, vergonha e outros (OLIVEIRA, 2009, p.31)



Execução do Projeto (A Vida no Campo)

O CIM Missões Nacionais nessa fase promoverá o ambiente de confiança de cuidado integral ao missionário e sua família através da prevenção, do pastoreio e do acompanhamento, com as Igrejas e a Coordenação, para que a próxima fase de aposentadoria ou encerramento de contrato seja alcançada de forma saudável e cheia de contentamento no cumprimento do ministério. 



Aposentadoria ou Encerramento do Contrato

O ministério missionário no Senhor é para toda a vida, até que Ele, Jesus Cristo, retorne ou recolha cada um de nós. O processo de aposentadoria não significa deixar de servir ou cumprir o ministério. Simplesmente é um novo momento, uma nova oportunidade e outra maneira de servir ao Senhor.


É saudável e prudente que todos os missionários se preparem para essa nova fase de sua vida. Através de planejamento, estratégia e de forma antecipada, para que esse novo momento não seja uma crise a ser resolvida, mas uma nova etapa para servir a Deus com mais segurança emocional e financeira. No livro Cuidado Integral do Missionário, O´Donnel (2004, pg.58) nos apresenta algumas perspectivas e práticas ao redor do mundo, ele diz algo importante para agências e igrejas:

“O apoio à aposentadoria precisa começar antes da própria aposentadoria, através do encorajamento e apoio tanto da agência como da igreja.”

Outra fase da carreira missionária é o encerramento do contrato. Nem todos os missionários cumprem todo o seu ministério em uma única agência missionária. Muitos têm a oportunidade de continuar seu chamado e vocação em outras organizações. Sempre ligados à Igreja Local, que é a agência do Reino que envia os obreiros chamados pelo Senhor, quando um projeto é encerrado e ou o contrato é finalizado, o missionário e sua família retornam para sua Igreja de origem e ou enviadora buscando novos desafios no seu ministério. Essa transição pode ser trabalhada em parceria entre a agência, a igreja e o missionário, para que a família tenha as orientações e o apoio adequado para a nova adaptação.

O CIM Missões Nacionais por meio dessa visão de cuidado integral, juntamente com a Igreja, desenvolverá essas ações em todas as fases da carreira missionária. Buscando desenvolver o missionário em seis dimensões da vida para que estejam aptos e saudáveis para cumprirem a missão.  











Última atualização: sexta, 16 Mar 2018, 14:00