Não acredite em seus pensamentos



Na aula de hoje vamos aprender a influência que os pensamentos tem sobre nossa vida. 

Sim, a forma pela qual lidamos com o nosso dia-a-dia tem a ver com o tipo de pensamentos que escolhe ter diante das situações. Esse tipo é como se fosse uma mania nossa. Por exemplo, eu tenho uma enorme mania de usar a palavra ‘mas’ nos meus textos e terminar alguma pergunta como ‘faz sentido’. E você? Também tem alguma mania de escrita ou de falar?

Fora do Brasil, os brasileiros nascidos aqui são facilmente reconhecidos por uma mania nossa, em geral, de usar a palavra ‘né’ em cada frase praticamente. Sabe aquele seu amigo pessimista? Então, você já se lembrou dele porque é uma pessoa geralmente que usa palavra negativas ou pensa que sempre as coisas podem piorar. E é essa mania de pensar que quero ajudar você hoje a perceber se tem alguma que não é legal, ou em termos técnicos, o que chamamos de Pensamento Funcional.

Mas (olha ele aqui de novo – risos) o que é esse Pensamento Funcional?

É uma forma mais saudável e produtiva de analisarmos a nossa vida. Existem diversos pensamentos ruins que podemos ter a mania de carregar eles na nossa vida e esquecemos de usar uma série de pensamentos bons que nos ajudariam a enfrentar os processos de mudanças que vivemos.

Observe a imagem abaixo e veja como foi possível alterar os pensamentos negativos até que um pensamento funcional surgisse.



E que tal agora identificar alguns dos pensamentos ruins? Vou começar compartilhar aqueles mais citados por filhos de missionários e pastores que tenho atendido nos últimos 11 anos, geralmente são:

Generalização: “a mãe do fulano sempre está junto com ele, a minha mãe vive atrás de atividades da igreja e nunca tem tempo pra mim”

Perenizar: “nunca conseguirei fazer bons amigos, mudando a toda hora de cidade”

Culpabilizar: “se meu pai tivesse um emprego normal eu não passaria pelos problemas que vivo”

Perfeccionismo: “sou um FM (filho de missionário) preciso dar exemplo, o que as pessoas irão pensar se o filho do Fulano for mal na escola”

Pessimizar: “minha vida sempre será de sacrifício e pobreza porque meus pais são missionários”

Obrigatoriedade: “precisa mostrar que estou bem, meus pais já tem muitos problemas na igreja, não posso decepcioná-los”.

Você pode estar pensando agora “Poxa Cíntia, quer dizer que eu não posso ter esses tipos de pensamentos?” e a minha resposta para seu questionamento é “Não, pelo contrário”.

Todos nós temos esses tipos de pensamentos, mas, lembre-se que o problema está quando eles se tornam manias. Quando comparamos a nossa vida com a do vizinho toda hora, estaremos cometendo a Generalização e com isso podemos correr o risco de menosprezar os momentos e oportunidades que temos por fazer parte de uma família missionária ou pastora.

Quando nos autocriticamos e autocobramos para ser o melhor aluno da escola, por ser um exemplo para outros adolescentes e jovens da igreja porque nossos pais são missionários ou pastores podemos correr o risco de ter o Perfeccionismo como mania de pensamento e isso nos atrapalhar nas nossas relações e em nossos compromissos. 



Existem mais uns 30 tipos de pensamentos disfuncionais que aos pouquinhos ao longo das aulas vou ensinando, mas, o meu objetivo é ajudar você a se conhecer e entender que não está sozinho e nem ficando louco. Pelo contrário, é muiiiiiiito normal tem as emoções e os pensamentos que tem passado e que é possível controlar e assim, aproveitar as inúmeras vantagens que você sabe e leu em aulas anteriores sobre ser um FM (filho de missionário) e assim minimizar as desvantagens que existem. 





Última atualização: sexta, 9 Mar 2018, 17:19